I Seminário de Pesquisas da Escola Indígena

O seminário foi realizado na aldeia Morada Nova, T. I. Katukina Kaxinawa, município de Feijó. Com professores/lideranças intelectuais (92 pessoas) entre os povos indígenas do Acre (16 etnias), pesquisadores do LaBinter (23 pessoas) e representantes das instituições parceiras (OPIAC, FUNAI, IFAC, CPI-AC, Instituto Iorenka Atame, Prefeitura Municipal do Jordão). Com foco na escola indígena como operador teórico para as pesquisas do LaBinter, levando a proposta de uma formação escolar em rede. Tendo a formação de órgão colegiado para gerir o programa trans-institucional de extensão “Apoio à Formação de Educadores Sócio-ambientais Indígenas”, cuja meta principal é a realização de cursos de magistério, nos moldes do ensino médio, para atender às demandas específicas das terras indígenas. Com movimento para um curso de magistério para formação de cerca de 40 professores Huni Kuin, através da parceria entre UFAC, IFAC, OPIAC, FUNAI e prefeituras municipais do Jordão/AC e de Marechal Thaumaturgo/AC (que também comporão o colegiado do referido programa de extensão). Realizando a triagem de material didático in progress. Bem como, reflexões sobre a leitura, a escrita e a escola. Debatendo sobre a conceituação de interculturalidade e bilinguismo com intercâmbios e trocas de experiências. Realizando diálogos interculturais, envolvendo pesquisadores universitários (professores e alunos) e professores indígenas. Tendo a conexão com a “experiência de autoria” teorizada e praticada pela Comissão Pro-Indio do Acre. E por fim a produção de um vídeo documentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.